Autismo : Diagnóstico e Tratamento?

A partir do último Manual de Saúde Mental – DSM-5, inclui todos os Distúrbios do autismo, chamado de Transtorno espectro autista ( transtorno autista, transtorno desintegrativo da infância, transtorno generalizado do desenvolvimento não especificado e síndrome de Asperger ).

É um grupo de desordens complexas do desenvolvimento do cérebro, antes, durante ou logo após o nascimento.

Se manifesta com atraso da fala e dificuldade na comunicação social e comportamentos repetitivos, pode ter deficiência intelectual, déficit de atenção e dificuldades de coordenação motora, distúrbios de sono e do comportamento ( agitação, irritabilidade, agressividade, desinteresse, perseverança ).

Crianças com Transtorno do Espectro Autismo ( TEA ) iniciam os primeiros sinais nos primeiros meses de vida, não olham quando os pais chamam e não mantêm o contato visual afetivo. A partir dos 12 meses, por exemplo, não apontam com o dedinho aquilo que desejam. No primeiro ano de vida, demonstram pouco interesse pelas pessoas ao seu redor ( sem reações de afetividade ou participação das brincadeiras ) e tem mais interesse nos objetos ( interesses restritos, fixos e intensos ) e comportamentos repetitivos.

Podem apresentar alterações sensoriais ( visão, audição, tato, olfato ou paladar ) ampliados ou reduzidos.

Alguns pacientes poderão levar uma vida relativamente “normal”, enquanto outras poderão precisar de apoio especializado ao longo de toda a vida.

Assim como qualquer ser humano, cada pessoa com autismo é única e todas podem aprender. Podem inclusive se destacar em habilidades visuais, música, arte ou matemática.

Diagnóstico

História clínica e observação comportamental da criança e habilidades na linguagem ( comunicação ) e cognitiva, entrevista com os familiares. Exame neurológico e seguir os critérios diagnósticos de acordo com o DSM-4.

Fatores de risco

Sexo, muito mais comum nos meninos ( 5 : 1 ). Histórico familiar ( pode ocorrer em outro filho na mesma família ). Idade dos pais ( quanto mais avançada for a idade, maior o risco do filho desenvolver autismo ). Outros transtornos ( principalmente a Epilepsia e Esclerose tuberosa ).

Causas

Ainda desconhecidas ( combinações de fatores genéticos e ambientais ).

Tratamento

Baseia-se numa série de medidas e intervenções efetivas o mais precoce possível, à partir do diagnóstico clinico, com tratamento farmacológico dos sintomas-alvo, terapia cognitivo-comportamental, terapia ocupacional, psicoterapia, treinamento dos pais, educação especial ( tratamento e educação para crianças autistas e crianças com déficit relacionados com a comunicação – TEACCH ).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *