Saiba como diferenciar tristeza de depressão

Todo mundo durante a vida apresentará momentos de maior dificuldade, quando será tomado por sentimento de tristeza e melancolia, o que é normal. Agora, o que será que diferencia uma tristeza natural da depressão patológica?

A tristeza é um momento emocional, um sintoma reativo a um desencadeante geralmente óbvio, ela é transitória, direcionada e proporcional ao evento que lhe deu origem, tanto em intensidade, como em duração.

A tristeza traz uma sensação ruim, negativa, mas é um processo biológico fundamental para o amadurecimento cerebral. Momentos tristes ensinam mais que os felizes, levam ao autoconhecimento, e acabam fortalecendo a busca e a vivência da felicidade. Sem tristeza e resignação não existe grande parte do aprendizado.

E a depressão? É uma doença complexa e potencialmente grave. Acomete até 20% da população em alguma fase da vida. Ela é causada por fatores genéticos, hormonais e ambientais. Além de tristeza, a pessoa deprimida pode apresentar uma gama extensa de sintomas, que podem depender do indivíduo, como: emagrecimento, ganho de peso, insônia, baixa autoestima, falta de motivação, alterações sexuais, restrição social, dores no corpo, apatia e fadiga. Em casos mais graves podem ocorrer sintomas psicóticos e desapego à vida, com risco de suicídio.

Por mais que haja um contexto de vida desfavorável, a depressão mostra ser desproporcional ao fator desencadeante, seja em intensidade, e em duração. Os episódios são arrastados e a falta de reconhecimento e de tratamento pode ser muito prejudicial ao paciente. Por definição, os sintomas devem ser intensos e persistir por mais de 2 semanas. Existem vários subtipos de depressão, a depender da intensidade, do contexto e dos sintomas mais relevantes. Para diagnosticá-la é fundamental que haja comprometimento da qualidade de vida.

A depressão é uma doença cerebral, estrutural e orgânica. Não é fraqueza e nem vontade de chamar atenção. É provocada por um desequilíbrio provado nas moléculas que conectam os neurônios, chamadas de neurotransmissores. Os principais transmissores que estão alterados (reduzidos)podem ser a serotonina, adrenalina e, em menos escala, a dopamina. Com isso, ocorre maior dificuldade em sentir prazer e todos os sintomas físicos e psíquicos citados anteriormente começam a aparecer.

Ao sinal de qualquer sintoma, o ideal é procurar um especialista para diagnosticar e tratar a doença. Depressão tem cura, e os medicamentos necessários apenas o medico pode indicar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *