Você sabe o que é cleptomania?

Também denominada de furto compulsivo, a cleptomania pode ser um transtorno bastante comum que resulta em angústia e consequências legais significativas parra o paciente. É um transtorno incapacitante que resulta em uma vergonha intensa, bem como problemas sociais, familiares e ocupacionais, sendo necessários estudos de tratamento em ampla escala.

A cleptomania é um tipo de transtorno do controle dos impulsos: um distúrbio no qual você não pode resistir à tentação ou dirigir para realizar um ato que é prejudicial a você ou a alguém.

O que causa esse distúrbio?

Ainda não há estudo conclusivo sobre as causas da cleptomania. Algumas pesquisas indicam que pode ser causada por alterações cerebrais, porém, ainda não há nada cientificamente comprovado.

Sintomas

Aparentemente o cleptomaníaco é completamente normal não há um traço identificável fora do descontrole em si mesmo, ou seja, não é possível identificar o cleptomaníaco antes dele furtar objetos. Após o roubo o paciente reconhece o erro de seu gesto, não consegue entender porque fez nem porque não conseguiu evitar, fica envergonhado e esconde isso de todos.

Essas características se assemelham muito ao transtorno obsessivo compulsivo, por isso está sendo estudada como uma possível variante desse transtorno, assim como quanto à bulimia também, por se tratar de um impulso (por definição incontrolável) que leva o paciente a sentir-se culpado e envergonhado depois de ter comido demais.

O diagnóstico é difícil?

Habitualmente o diagnóstico da cleptomania é feito através de entrevistas e sessões psicoterapêuticas, não havendo testes ou métodos pré-determinados para avaliar a situação.

Existe tratamento?

Não existem estudos controlados de tratamentos somáticos ou psicológicos em cleptomania. Relatos de casos individuais, entretanto, sugerem que várias formas de terapia comportamental podem ser efetivas em alguns pacientes.

Existem também relatos isolados do sucesso do uso de psicoterapia psicanalítica, mas existem também muitos relatos negativos. Outros relatos de caso sugerem que medicamentos antidepressivos ou com propriedades estabilizadoras do humor podem ser efetivos na cleptomania.

Existe diferença de um roubo consciente do que um roubo de um cleptomaníaco?

A pessoa com cleptomania não rouba pensando em beneficio próprio, trata-se de um problema real, um impulso tão forte que a pessoa não é capaz de controlar.

Classificado como:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *