O que caracteriza fobia social?

Socialização é o processo através do qual um indivíduo se torna membro funcional de uma comunidade, assimilando hábitos e a cultura que lhe é própria. É um processo contínuo que se inicia pela “imitação” e continua por toda a vida por meio da comunicação verbal e não verbal. Sofrer demais em socializar pode ser um quadro de fobia social. Saiba mais em nosso post!

 

O que é fobia social?

Transtorno de ansiedade social, ou fobia social, é um distúrbio caracterizado pelo desconforto e medo irracional, intenso e persistente, de uma ou várias ocasiões sociais. O confronto de situações em frente ao público provoca ansiedade pelo receio de sofrer avaliações negativas ou humilhações de terceiros.

 

Causas

A doença é causada por um conjunto de fatores interligados entre o ambiente externo e os genes, porém especialistas acreditam que o peso maior se dá nas experiências dos pacientes. Apenas por volta de 30% dos casos tem a origem genética, o restante se deve a vivências complexas.

Timidez ou fobia social?

A fronteira entre a timidez excessiva e o transtorno é difícil de demarcar, basicamente, é necessário tratamento quando o receio de ser observado e avaliado pelos outros começa a causar sofrimento ou prejuízos em algum campo da vida, seja profissional, como a perda do emprego por evitar o ambiente de trabalho, seja pessoal, como a dificuldade em travar relacionamentos.

 

Sintomas da Fobia Social

Parece que se entra numa bolha que sufoca, uma parede que bloqueia, o corpo toma conta de todo o processo e só passa quando se desiste.

  • Sintomas da Ansiedade (aumento da frequência cardíaca, dificuldade em respirar, suores…)
  • Corar
  • Mãos trêmulas
  • Boca seca, dificuldade em falar
  • Gaguez
  • Evitamento Social, negação

 

Como é feito o tratamento?

O tratamento da fobia social requer sempre múltiplas abordagens, visto não ser uma doença de causas biológicas somente, nem de causas psicológicas apenas. Há vários indícios de que certos indivíduos têm alguns sistemas serotonérgicos diminuídos e a serotonina exerce papel importante na mediação do estresse. Esses indivíduos com tônus serotonérgico mas baixo, lidam pior com situações aversivas.

Parece que também a dopamina, neurotransmissor associado com a motivação e com a busca de gratificação, está diminuída em alguns pacientes com fobia social.

Classificado como:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *