Enxaqueca em crianças

Estima-se que 8% das crianças com idade de 5-12 anos tem enxaqueca. A dor de cabeça geralmente é o principal sintoma, mas nem sempre ela está presente, outros sintomas menos conhecidos podem aparecer e confundir com outras doenças.

Os fatores desencadeadores de enxaqueca nas crianças se deve ao hábito moderno de ingerir frequentemente comidas tipo fast food (cachorro quente, queijos cheddar/catupiry, molhos, batata frita, refrigerantes tipo cola, chocolates, doces, confeitos, corantes, glutamato de sódio presente no molho shoyo e temperos, etc.). Assim como jejum prolongado, horas no computador, privação de sono e cobrança excessiva.

Sintomas

Nas crianças a enxaqueca se apresenta um pouco diferente dos adultos, geralmente ocorre dá seguinte forma:

  • Dor em peso ou pressão na cabeça.
  • Localização nos dois lados da fronte.
  • Intensidade moderada (geralmente inferior à dos adultos).
  • Duração inferior a 4 horas, geralmente menos de 1 hora.
  • Sintomas associados de náuseas, vômitos, intolerância a luz, barulhos e odores fortes também são comuns.
  • Podem apresentar com dores abdominais, náuseas e vômitos quando viajam, tonturas, bocejos, alteração do humor, falta de apetite, déficit de atenção, outros.

Crianças com enxaqueca podem ter crises esporádicas e pouco expressivas, passar até despercebido pelos pais, ou terem crises incapacitantes e frequentes, resultando em prejuízo no rendimento escolar, faltas, dificuldade de interação social e alteração do humor e do apetite.

Diagnóstico

O diagnóstico da enxaqueca, tanto em adultos quanto crianças, é feito com base na anamnese (entrevista) com os pais/responsáveis e exame clínico neurológico. Exames complementares eventualmente poderão ser solicitados para excluir outras formas de cefaleia.

O tratamento felizmente quase sempre responde muito bem apenas com boa orientação médica quanto a mudanças de hábitos e estilo de vida (incluindo alimentares, sono e outros), sem a necessidade de tratamento medicamentoso específico.

Quando necessário dependendo da frequência e intensidade das crises de dor de cabeça utiliza-se de várias medicações para tratar a enxaqueca como em adultos dentre elas betabloqueadores, anti-inflamatórios, antidepressivos, anticonvulsivos, bloqueadores de canais de cálcio, etc.

O mais importante é frisar que a enxaqueca se trata de uma doença bioquímica do cérebro, hereditária, transmitida geneticamente e não pode ser curada, porém com orientações corretas e tratamentos clínicos pontuais, pode se ter um bom controle das crises e da qualidade de vida dessas crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *