Você sabe o que define estresse?

A vida moderna é cheia de desafios, prazos, frustrações e exigências. Para muitas pessoas, o estresse é tão comum que já faz parte de sua rotina. Entretanto, alguns fatores são mais danosos ao corpo e a mente e mais destruidores da saúde pública do que o estresse.

O estresse é uma resposta do organismo (física ou mental) a um evento de esforço extremo ou importante, geralmente quando se sente ameaçado ou sob pressão. Essa resposta libera uma série de reações químicas no seu organismo, o que provoca reações fisiológicas.

É muito comum que, ao longo do dia, as pessoas fiquem preocupadas demais com coisas que não podem ser mudadas e que dependem de fatores externos e variáveis que não podem ser controladas, como o clima, o estado de saúde de algum parente e/ou o trânsito. Pior ainda: algumas pessoas ficam remoendo coisas do passado que trazem dor, pensando em situações e pessoas que já não existem, mas não foram deixadas para trás.

Quais os sintomas do stress, afinal?

Quando o paciente se sente ameaçado, o cérebro produz uma série de hormônios estressores, como cortisol e adrenalina, que fazem a pressão arterial subir, os músculos contraírem, a frequência cardíaca aumentar e a respiração acelerar. No âmbito psicológico, esses hormônios estimulam a irritabilidade, ansiedade, frustração, tristeza, insegurança e o ressentimento.

Uma pessoa emocionalmente saudável retorna rapidamente ao estado normal depois de um momento de tensão, enquanto uma pessoa estressada entra em um ciclo vicioso de desequilíbrio, ficando cada vez mais adaptada a esse estado, que passa a ser seu estado natural.

Com o tempo, o estresse pode levar ao aumento de doenças infecciosas, devido à secreção crônica de corticóides e somatotrofinas. Também diminui a resposta dos mecanismos de defesa em nosso corpo, facilitando o surgimento de doenças, principalmente cardiovasculares.

O estresse possui diferentes níveis, nos quais são diagnosticados por suas características:

Nível cognitivo: o indivíduo não consegue solucionar seus problemas internos, tem perda de memória, apresenta grande nível de insegurança e dificuldade de concentração e resolução de problemas.

Nível fisiológico: o estresse ocorre através de sintomas físicos no paciente, como tensão muscular, dores de cabeça, fadiga, distúrbios do sono e doenças de pele.

Nível motor: É o nível que gera atitudes incomuns, como chorar, fumar mais do que o habitual, tiques nervosos, etc.

estresse negativo: Nesse nível ocorre que o equilíbrio da fadiga é excedido, causando níveis mais elevados de irritabilidade, ansiedade e raiva.

Como tratar esse mal?

O tratamento do estresse foca três pontos: administrar os estressores, aumentar a resistência a eles e mudar a forma de enfrenta-los. O que alivia o estresse não é a mesma coisa para todos os pacientes. Fazer algumas mudanças de estilo de vida é o melhor começo.

 

Classificado como:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *