É possível prevenir o Mal de Parkinson?

Conhecida pelos tremores involuntários, o Parkinson pode atingir 1% das pessoas acima dos 65 anos no mundo. Sua origem está, principalmente, na aceleração do envelhecimento dos neurônios ligados ao movimento, por isso é tão comum que estejam presentes sintomas como falta de equilíbrio e de coordenação motora, dificuldade na fala, constipação e rigidez muscular.

Sintomas

Os sinais que apontam para um quadro de Doença de Parkinson variam de acordo com cada quadro e com cada paciente. Os primeiros sinais aparecem e se desenvolvem de forma tão lenta que o paciente não consegue determinar quando eles apareceram efetivamente.

O tremor do Parkinson acontece quando a pessoa está parada, em repouso, e melhora quando ao fazer algum movimento. É mais comum nas mãos, sendo um tremor com grande amplitude, que imita o movimento de contar dinheiro, mas também pode aparecer no queixo, lábios, língua e pernas.

A rigidez dos músculos também pode ser assimétrica ou estar mais presente em algum local do corpo, como braços ou pernas, dando uma sensação de estar endurecido, impedindo atividades como caminhar, se vestir, abrir os braços, por exemplo.

Felizmente os sintomas da doença são relativamente clássicos, algo que automaticamente aumenta as chances de diagnóstico e consequentemente acelera o processo de tratamento.

Diferente do que muita gente sabe, o mal de Parkinson pode afetar apenas um, ou então ambos os lados do corpo do paciente. Além disso, o grau de perda de funções causada pela doença pode variar dependendo do caso.

Prevenção existe?

Sem ter a origem bem esclarecida pela ciência, o Mal de Parkinson ainda é um dos desafios em termos de prevenção. Descobertas recentes, entretanto, mostram que a depressão e insônia ao longo da vida são não apenas fatores de risco, mas também sintomas iniciais da doença. Daí a importância de acompanhar e tratar os sintomas!

Os pesquisadores também já conseguiram relacionar o café, a alimentação e o exercício físico à prevenção do Mal de Parkinson. A cafeína teria a capacidade de atuar na melhora do sintomas e também agir de forma preventiva.

Especialistas dizem ainda que fazer aqueles joguinhos de palavras-cruzadas também pode ser um ótimo estimulante do intelecto e, consequentemente, ótima maneira de retardar os sintomas do Parkinson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *